domingo, 2 de outubro de 2011

Papel artesanal - Um papel de fibra

Fibras de bananeira (em primeiro plano), cipó à esquerda e côco à direita
   Muitas pessoas me perguntam como se faz papel artesanal. Se é só picar o papel e triturá-lo no liquidificador com água. Não é bem assim tão simples. Isto é só o começo.
   Para fazer papel artesanal, a gente inicia na idealização da textura. O tipo que servirá a uma determinada aplicação em alguns dos produtos de nossa linha. Para isso, tenho que pensar inicialmente na polpa, qual o papel que irei reciclar, que tipo de fibra vou usar, e eventualmente qual flocagem quero usar (casca de cebolas, flores, cipó, etc).

Cascas de cebolas e alhos
   Basicamente uso caule de bananeira, sisal, piteira (agave) ou coroa de abacaxi; individualmente, um mix de duas ou três, ou todas juntas. Depende da disponibilidade da época, da safra ou do estoque. Como tudo isso vem de sobras (resíduos), aproveito o que tenho disponível e utilizo na produção do papel.
   Quase ao final da preparação da polpa, coloco as flocagens - flores, cascas de cebolas roxas, brancas e amarelas, alhos roxos e brancos - usando individualmete ou misturando-as.
 
Flores de boungaville

   Entre as flores, normalmente uso a Bouganville (Primavera), marcelinha-do-campo (que deixa um aroma impregnado no papel, por vários meses), guapuruvu, quaresmeira, sibipiruna, jacarandá-mimoso e outras flores de pétalas finas.

Flor da quaresmeira

   Assim, nasce o papel artesanal!

 

Um comentário:

  1. Bom dia Cecilia,
    estoy aprendendo a fazer papel de fibras. Me dizem que debo cozinhar as fibras em panela de acero inoxidable. Mais esas panelas sao muito costosas. Nao se pode cozinhar nas panelas comuns? de aluminio?
    Muito obrigada e gosto muito de seu trabalho.
    Alexia

    ResponderExcluir